Conectados sempre!

Há alguns anos acessávamos a internet ​​principalmente via PCs e laptops, mas atualmente o cenário é outro. Até as crianças têm smartphones, os aparelhos de TV, DVD e videogames são conectados e amigos e parentes chegam à nossa casa apressados e, antes de dizerem oi, perguntam: Qual a senha do wi-fi?

 

Não adianta reclamar, nós mesmos somos assim!  E com todas essas reflexões chego à conclusão que somos todos loucos por wi-fi. Basta esquecer o smartphone em casa ou a Internet cair para o dia virar um pesadelo. 

 

O fato é que faz mais de 15 anos que tanto a Internet como a telefonia celular fazem parte da nossa vida. Elas chegaram com custos altos e pouca cobertura e foi só questão de tempo para se unirem. Hoje as barreiras não existem mais e o conceito de sermos conectados o tempo todo e em qualquer lugar é realidade para todos, não importa a idade.

E a tendência é que isto se intensifique cada vez mais. Segundo a consultoria Frost & Sullivan, até 2020 o mundo terá 80 bilhões de aparelhos conectados. O mesmo estudo diz que cada pessoa terá até cinco equipamentos ligados à web e cada casa terá em média dez conectados simultaneamente – tudo isso gerando um volume cada vez maior de informações e tráfego nas redes sem fio.

Vale lembrar também que, segundo a pesquisa TIC de Domicílios de 2013, hoje o Brasil tem 63% das residências com computadores (de mesa) e 27,2 milhões delas com acesso à Internet. São 86 milhões de usuários de internet, sendo 52,5 milhões que acessam via celular.

Somos também uma geração de fato multi-tela. Estamos vendo TV, mas não largamos o celular. Jogamos videogame enquanto procuramos um vídeo no tablet e compramos on-line no computador. Conectividade e Wi-Fi, portanto, são artigos de primeira urgência, tanto que se o psicólogo Abraham Maslow estivesse hoje entre nós deveria rever sua pirâmide de necessidades essenciais, colocando o wi-fi na base.

A verdade é que estamos vivendo a vida real e virtual ao mesmo tempo. Mas, pensando bem, o que faz todos estarem conectados? A Internet é claro. Reclamamos da velocidade do link, mas vale lembrar que nem sempre ele é o vilão.  De nada adianta uma boa conexão se o roteador é antigo. Sim, ele também evoluiu e se modernizou, atingindo velocidades muito superiores.

Assim, se você tem Wi-Fi mas vive reclamando que não há sinal em todos os lugares de casa, pode ser porque o roteador é antigo e também funciona em uma frequência congestionada. É como ter o motor de uma Ferrari em um carro popular: a falta de “potência” e tecnologias anteriores limitam o desempenho.

Ainda não amplamente divulgado, os roteadores chegaram à quinta geração, chamada de 11AC e podem chegar a velocidades de 1750Mbps (a grande maioria dos aparelhos wi-fi que as operadoras entregam é de 150Mbps e são de quarta geração)Eles possibilitam uma experiência superior, com maior alcance de sinal e velocidade de transmissão, além de operarem em uma frequência diferente dos aparelhos eletrônicos, evitando interferências e melhorando a performance da rede. São ideais para cobertura de ambientes a partir 200m2, proporcionam melhor alcance e permitem que os usuários façam atividades como jogar ou ver filmes em HD sem os lags.

Outros fatores do ambiente também podem interferir na qualidade e alcance do sinal. Quem mora em casas grandes, com paredes muito grossas ou próximas a elevadores sempre reclama da qualidade da conexão. O roteador cumpre seu papel de levar o sinal ao dispositivo, mas há um alcance máximo. Nesse caso entram em campo os repetidores, que aumentam essa abrangência.

Outro ponto importante são os diferentes perfis de consumidores. Os gamers exigem sempre o melhor desempenho, e nessa hora utilizar um equipamento 11AC top de linha faz toda a diferença. Recentemente, a equipe profissional da Keyd Stars testou jogar on line com um roteador 11AC de 1750Mbs e aprovou.

Já estudantes realizam trabalhos em grupo e a principal mudança é que cadernos estão sendo substituídos por smartphones e tablets, além de compartilhar a conexão Wi-Fi. O acesso e disponibilidade a conteúdos audiovisuais em qualquer lugar são essenciais. A disponibilidade do sinal de internet é para eles vital. Para isto, devem analisar os pontos da casa que querem acessar e usar o equipamento ideal, com cobertura adequada ao uso que será feito.

Para quem viaja muito a trabalho os roteadores portáteis são muito úteis. Em um hotel ou local onde só há Internet cabeada basta conectar e ter acesso à rede sem fio.

Para que sua conexão seja rápida e confiável, não levando a uma abstinência de conectividade quando mais precisar, a dica principal é verificar se o roteador é bom o bastante para suas necessidades atuais. E se ele estiver limitando suas atividades, não pense duas vezes em trocá-lo!

Como somos todos loucos por wi-fi, merecemos qualidade. E o vilão nem sempre é o sinal, mas o seu aparelho que pode estar ultrapassado para suas necessidades atuais.